Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Araguari registra fechamento e realocação de lojas devido à instabilidade econômica

qui, 10 de outubro de 2019 05:35

Da Redação

Ao andar pelas ruas de Araguari, é possível avistar estabelecimentos comerciais fechados e placas que sinalizam vários locais disponíveis para locação. O encerramento das atividades de uma loja de eletrodomésticos localizada na rua Rui Barbosa, também chamou a atenção tanto dos munícipes quanto dos comerciantes. Os corretores de imóveis comerciais, por sua vez, afirmam que há muito tempo não viam nada igual. “Há alguns anos, ver uma loja com placa de aluga-se no centro era uma raridade. Agora, muitos comerciantes estão fechando suas portas,” ressaltou o corretor Luís Resende.

Recuperação lenta da economia é um dos fatores que tem segurado a expansão do comércio

Recuperação lenta da economia é um dos fatores que tem segurado a expansão do comércio

 

A situação segue o ritmo nacional e confirma o ritmo lento de crescimento da economia no mercado interno, apontado por indicadores que revelam os fatores que tem contribuído para o cenário no município. Segundo apurou a reportagem, entre as principais reclamações dos lojistas está o alto custo de aluguel, a concorrência com produtos que são vendidos pela internet e, consequentemente, a queda nas vendas. Outro fator, na visão dos lojistas, são as ruas visivelmente mais vazias. “As pessoas não estão tendo dinheiro para comprar e girar a economia,” disse um comerciante.

Apesar do fechamento de estabelecimentos comerciais, a situação tem levado comerciantes a buscarem melhores condições por meio da realocação de suas lojas. A procura tem sido por regiões mais afastadas do centro da cidade, uma vez que muitos proprietários ainda mantêm altos valores de alugueis devido à localização central dos imóveis.

Para o presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Araguari), Leonardo de Daher Melo, o cenário é motivado pela crise no país, que ainda não está resolvida. “O Brasil está passando por dificuldade interna e, ao observarmos nossa balança comercial vimos que há resultados positivos, no entanto, a população teve sua renda diminuída e não está consumindo, assim surgem dificuldades no mercado. No caso da loja de eletrodomésticos que fechou suas portas, a empresa responsável estava passando por uma série de dificuldades em Araguari. Essa situação nos entristece, pois, esta é uma cidade que está crescendo devido à instalação de empresas, à sua posição geográfica excelente, mas infelizmente o comércio ainda sente dificuldades em se reerguer.”

Segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC), feito com base em informações prestadas por empresas formais ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) o número de lojas fechadas no país voltou a aumentar logo no primeiro trimestre deste ano. No final do ano passado, ainda sob a influência do prognóstico favorável para a economia, a expectativa era de que 2019 encerrasse com a abertura líquida de 22 mil lojas, diz o economista-chefe da CNC, responsável pelo estudo, Fabio Bentes.

Em entrevista recente, ele ressaltou que essa projeção está prejudicada diante do baixo desempenho da atividade econômica esperado para o ano. Mesmo em ritmo mais lento, o comércio de Minas Gerais inaugurou 524 lojas entre janeiro e julho de 2019, frente às 565 abertas em igual intervalo de 2018. A projeção, apesar de menor que a registrada em 2018, ainda é considerada positiva e vem contribuindo para a geração de empregos no Estado.

A expectativa é que o ritmo de abertura em 2020 seja maior. “É um dado positivo e, se alcançado, será o segundo ano de crescimento do número de lojas do varejo, mas, o ritmo está abaixo do obtido em 2018. Nesse ano, menos empresas abriram suas portas porque a economia tem apresentado uma dificuldade muito grande de engrenar um ritmo mais forte de crescimento”.

Parceira

Com o intuito de trazer benefícios para os empresários de Araguari e região, a Acia e a Caixa Econômica Federal realizam nesta quinta-feira, 10, um evento voltado ao tema “Empreendedor em tempos de crise”. Na oportunidade será apresentada aos participantes, a parceria firmada entre associação e a agência de Araguari. As atividades terão início às 18h30 e serão realizadas na avenida Tiradentes, 35 – Centro.

 

3 Comentários

  1. Anônimo disse:

    Apesar de comprar a vista, tem uma que nunca mais entro para comprar nada e nem deixo ninguém da minha família entrar. Risquei do mapa. Para finalizar tentam te enfiar goela abaixo a tal de garantia estendida e cartão de crédito também, após dizer não dez vezes eles têm que respeitar o não das pessoas. E eu não deixo barato mesmo.

  2. Bruno disse:

    Nao era só colocar o MITO na presidencia que o país ia decolar?

    A cidade é reflexo do prefeito… lento que só.
    CIDADE SORRISO, mas só para os aposentados.

  3. Anônimo disse:

    Nada haver com prefeito, sempre a vida do pobre foi difícil. Agora ainda ficou pior porque o serviço que o pobre fazia foi substituído por máquinas. Quantas profissões acabaram. Quantas e quantas pessoas trabalharam na Mogiana na EF Goiás. Dizem que tinham as escolas profissionalizantes. As pessoas ganhavam pouco, mas tinha emprego para todos. Muitos pensadores do século dezenove, já escreveram sobre isso. O patrão é dono das máquinas e das ferramentas e você entra com a força do trabalho. Coisas do capitalismo, desigualdade social, a má distribuição do dinheiro, o de cima subindo e o de baixo descendo. O problema desse país chama-se políticos que ganham uma verdadeira fortuna por mês e não estão nem aí para o tupiniquim, é atrasado mesmo, não é um pais futurista, sempre eternamente um terceiro mundo. Todos pensando em entrar na politica para se dar bem.

Deixe seu comentário: