Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Acusados de matar homem com emprego de fogo em Araguari vão a júri popular

ter, 26 de março de 2019 05:53

Da Redação

O Juízo da Segunda Vara Criminal da Comarca de Araguari confirmou para o dia 5 de junho, no salão do Tribunal do Júri, a sessão de julgamento popular de dois rapazes denunciados pela morte brutal de Roberto Carlos de Sena, 41 anos, em 2016, no bairro Santa Terezinha. Um terceiro acusado teve o processo desmembrado e será julgado em data diferente, a qual não foi designada.

Para o juiz Cássio Macedo Silva, há provas suficientes para que os réus sejam submetidos à apreciação da sociedade araguarina através do Júri. Inclusive, um adolescente ouvido perante o Juízo da Vara da Infância e da Juventude, relatou toda a empreitada criminosa e afirmou que os mesmos concorreram para o grave delito, apesar de negarem envolvimento.

“Por se vislumbrarem indícios suficientes de autoria e prova da materialidade do delito, quaisquer dúvidas devem ser resolvidas em favor da sociedade, vigorando em favor dos réus tal benefício somente quando do julgamento final do processo e não no presente momento processual”, argumentou o magistrado.

Conforme o MP, os três acusados, auxiliados materialmente por dois adolescentes, mataram Roberto Carlos, por motivo torpe, com emprego de fogo e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, atacada em inferioridade numérica, estando desarmada e despreparada para resistir aos agressores.

Roberto Carlos faleceu após ter 100% de seu corpo queimado na madrugada de 15 de abril de 2016, debaixo de uma árvore no cruzamento das ruas Colúmbia e Floriano Peixoto.

Um morador das proximidades acordou com os gritos de um homem em chamas na porta de sua residência. Segundo o Corpo de Bombeiros, a testemunha apagou o fogo utilizando água enquanto a esposa telefonava para o 193.

Chegando ao local, os militares encontraram a vítima deitada no chão, inconsciente e apresentando queimaduras de 1º, 2º e 3º graus em todo o corpo, mas apresentava sinais vitais, sendo encaminhada ao pronto-socorro.

No local, foi encontrada uma garrafa pet, possivelmente utilizada para o transporte de combustível, que através dos indícios, aparentava ser gasolina, de acordo com a Polícia Civil.

A vítima veio a óbito por “queimadura grave e traumatismo crânio encefálico grave”, conforme os laudos médicos.

A acusação entende que houve revide por parte dos denunciados, uma vez que Roberto, supostamente, teria subtraído, anteriormente, duas bicicletas de convidados da festa promovida na residência de um dos envolvidos.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: