Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Academias são alvos de fiscalização por falta de alvará e contratação irregular de profissionais

sex, 8 de fevereiro de 2019 05:22

Da Redação

Nesta semana, os estabelecimentos que oferecem atividade física orientada em Araguari, foram visitados pela Vigilância Sanitária e representares do Conselho Regional de Educação Física – CREF de Minas Gerais. Foram três dias de trabalho em aproximadamente 30 academias.

As academias de Araguari passaram por vistoria durante três dias

As academias de Araguari passaram por vistoria durante três dias

 

De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária, Patrícia Tatiana Veronez, a iniciativa teve como objetivo orientar os proprietários, além de fiscalizar a qualificação técnica dos profissionais e se estão em dia com registro de professores de educação física.

Na ação, algumas tiveram que fechar suas portas durante o horário de atendimento, como aconteceu em um estabelecimento no bairro Goiás. “As principais irregularidades encontradas referem-se à falta do alvará sanitário das academias. Em alguns casos o documento também estava vencido, além disso, verificamos se os profissionais que estão atuando no município possuem habilitação e alguns estavam com o registro desatualizado,” afirmou a coordenadora.

Segundo explicou, não é exigido que o proprietário do estabelecimento seja formado em Educação Física, entretanto, é preciso que haja um profissional formado e seja o responsável técnico que reponde pelo andamento das atividades oferecidas, bem como a manutenção dos aparelhos.

Os fiscais averiguaram ainda as condições de higiene dos locais e a maneira como os materiais são acondicionados. Também foi observado se os espaços estão comercializando produtos com autorização, dentro do vencimento e em condições próprias para o consumo, armazenamento etc. Diante da constatação de irregularidades, o CREF emitiu um auto de orientação e deu um prazo para os estabelecimentos se regularizarem. Conforme apurou a reportagem, a maioria dos estabelecimentos havia apresentado a documentação necessária para retornar ao funcionamento, na tarde de ontem, 7, quando o trabalho foi concluído.

Caso haja algum descumprimento, o responsável enfrentará consequências. “É lavrado um auto de infração e a academia tem mais sete dias de prazo. Após isto, caso os problemas permaneçam, o Conselho encaminha laudo para os órgãos competentes de acordo com a infração e a estabelecimento pode ser até fechado.”

A Vigilância Sanitária fará um balanço geral sobre os problemas encontrados e divulgará dados completos na próxima semana. Enquanto isso, a coordenadora orienta que os usuários busquem informações das academias, principalmente com relação à qualificação do quadro de funcionários antes de se tornarem alunos.

“Orientações erradas podem gerar uma série de transtornos e acarretar em lesões aos alunos. Assim, todos devem procurar informações, pois, o profissional precisa ser qualificado para ministrar aulas como educador físico.”

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: