Domingo, 24 de Março de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Rondas preventivas são realizadas pelo Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

qui, 10 de janeiro de 2019 05:30

Com Assessoria

Nas atribuições estão os atendimentos psicossociais tanto com os moradores de rua, bem como os migrantes que passam pelo município

Por meio da secretaria do Trabalho e Ação Social, a prefeitura vem realizando diariamente rondas através do Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua, destinado àqueles que utilizam as ruas como espaço de moradia e ou sobrevivência. A finalidade é assegurar acompanhamento especializado com atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidades, resgate, fortalecimento ou construção de novos vínculos interpessoais e ou familiares, tendo em vista a construção de novos projetos e trajetórias de vida, que viabilizem o processo gradativo de saída da situação de rua.

Rondas preventivas são realizadas pelo Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

Rondas preventivas são realizadas pelo Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

 

Além disso, é oferecido trabalho técnico para a análise das demandas dos usuários, acompanhamento especializado e trabalho articulado com a rede socioassistencial, das demais políticas públicas e órgãos de defesa de direitos, de modo a contribuir para a inserção social, acesso a direitos e proteção social das pessoas em situação de rua.

As rondas para efetivação deste serviço são realizadas durante a semana, finais de semana e feriados nos períodos da manhã e tarde. Durante a noite acontece em sistema de plantão e as rondas são feitas quando necessárias ou diante de denúncias.

No ato da abordagem são feitas entrevistas no sentido de colher dados e o máximo de informações da pessoa em situação de rua, pois, em diversos casos são dependentes químicos,  sendo necessário um trabalho em rede com a secretaria de Políticas Sobre Drogas, especializada para estes casos. Por vezes, um trabalho que demanda maior tempo inclusive tratamento, levando um período maior para a retirada do indivíduo das ruas, pois alguns são resistentes a esta ajuda.

A prefeitura efetivou com a “Casa de Passagem” Casa de Davi – um termo de fomento e acordo de cooperação onde os moradores em situação de rua são acolhidos por um determinado período, recebendo apoio e ajuda na reconstrução dos vínculos familiares até seu retorno ao lar, pois em se tratando de pessoas em situação de rua, em sua maioria são araguarinos que tiveram vínculos familiares rompidos e usam da mendicância para sobrevivência e ou como complemento de algum benefício existente. Estes benefícios como o BPC, normalmente são identificados durante a abordagem quando a equipe técnica realiza uma triagem a partir dos dados colhidos. Em alguns casos a mendicância é usada também como complemento para sustento de algum vício.

Os migrantes possuem o mesmo perfil, porém sem residência fixa em alguma localidade do país, sendo assim, vivem percorrendo cidades onde encontram apoio para seguir a próxima viagem. Nestes casos, o município através do Serviço Especializado dispõe de Albergue onde existe a higienização, café da manhã e jantar. Após este apoio inicial é oferecida passagem intermunicipal e o encaminhamento dos mesmos até a Rodoviária.

Em casos específicos o trabalho é efetivado em rede com o apoio do CAPS, CAD, UPA, secretaria de Políticas Sobre Drogas, SINE e Conselho Tutelar.

Para a secretária de Trabalho e Ação Social, Eunice Mendes “o trabalho é árduo, pois não basta apenas a aplicação das políticas públicas, mas também do querer do cidadão de sair desta condição de falta de perspectiva do futuro e falta da autoestima. Dentro das possibilidades estamos desenvolvendo este trabalho e continuaremos no sentido de resgatar vidas, famílias, mesmo diante das dificuldades e da negativa de muitos nesta situação e que não almejam mudança.”

Conforme dados da Equipe Técnica, na última terça-feira, 8, quinze migrantes receberam apoio e foram encaminhados para seguirem viagem.

De acordo com o pastor Juliano Marques Ferreira, integrante da direção da Casa de Davi, “em Araguari permanece em situação de rua somente quem assim o deseja.”

 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário: