Domingo, 21 de Julho de 2019
онлайн займ взять займ онлайн онлайн займы на карту микрозаймы на карту займ на карту срочно микрокредиты онлайн

Neuropsi – Por que as pessoas se isolam?

qui, 1 de fevereiro de 2018 05:40

Abertura-neuropse

1-Por que as pessoas se isolam?
O ser humano passa a maior parte do seu tempo de vida acompanhado por outras pessoas. Mas, para muitas delas viver cercado de muita gente por várias horas pode trazer insegurança, competição desenfreada e medo, e tudo isso aumenta a carga de estresse. Como fuga, o indivíduo procura o isolamento.
Há também aqueles que vivem cercados por várias pessoas, mas mesmo assim não conseguem se sentir parte daquele grupo. E na maioria das vezes, se isolam ainda mais. O problema vai se tornando uma bola de neve, e se a pessoa não procurar ajuda psicológica, tende a não conseguir sair da situação em que se encontra.

Elegeram a solidão como justificativa para sua vida não andar ou não estabelecer vínculo com outras pessoas, ficam presos a determinados arquivos emocionais, e têm, nessa vida, uma ótima oportunidade de cura se assim o desejarem.

2- O que é solidão?

Os seres humanos não nasceram para viverem sós. Nós somos seres gregários, precisamos da companhia, do carinho, da proteção, da amizade, do compartilhar. É na troca dentro das relações ou papéis que representamos, que desenvolvemos competência para interagir, pois na vida humana o que nos diferencia dos nossos irmãos animais são os processos de aprendizado estabelecidos na relação com seu semelhante. O pior tipo de solidão é aquele que, mesmo em companhia de pessoas queridas, sentimos o vazio, a falta de alguém ou algo.

“Solidão é o estado de quem se acha ou se sente desacompanhado ou só…”
A solidão está virando uma epidemia, é uma das possíveis causas da Depressão. A sociedade atual apesar de ter conhecimento da existência desta problemática, ainda não utiliza as estratégias e os recursos mais adequados para a combater.

3-Qual é o sexo e faixa etária mais acometidos?

Segundo dados do IBGE, nos últimos 20 anos, no Brasil, o número de casas habitadas por uma única pessoa passou de 7% para 12%. O ser humano não nasceu para viver sozinho.  A Solidão atinge várias faixas etárias, no entanto, é na classe idosa que esta é mais visível e notória e  existe maior incidência no sexo feminino, devido ao aumento da esperança média de vida nas mulheres. A partir dos 65 anos de idade, quase 40% desta população passa mais de 8 horas por dia sem companhia, em alguns casos sem ninguém que cuide sobretudo em situações de dependência ou falta de autonomia.

Mais de 60% das pessoas que experienciam sentimentos de solidão são casadas.
Quando o casal não mais compartilha seus sentimentos, pensamentos e experiências, isto pode levá-los a se sentirem desconectados e solitários. Pessoas em relacionamentos deste tipo acreditam que seu/sua parceiro(a) não está apto(a) a oferecer a conexão e sintonia que elas prezam em uma relação amorosa. Por isso, é importante que ambas as partes do casal estejam dispostas a investir no relacionamento que compartilham para que os parceiros não entrem em uma rotina monótona e desgastante.

4-Qual a relação entre a solidão e a internet ?

É estranho pensar que em um mundo com tantos recursos tecnológicos de comunicação ainda exista espaço para o sentimento de solidão. Estamos o tempo todo conectados, sedentos por informações dos mais diversos tipos, mas, ainda assim, muitas vezes acabamos nos sentindo sozinhos e sem perspectivas futuras com relação à vida.
A solidão pode, algumas vezes, levar às compulsões e a internet está sendo vista como uma delas. A realidade concreta se torna tão ameaçadora que o indivíduo se refugia na internet. Pessoas com dificuldades de fazer amigos e de se integrar em grupos tentam se esconder atrás de um mundo virtual e acabam se viciando no anonimato. Se o indivíduo efetivamente não consegue mais se relacionar com as pessoas a sua volta, isso pode se tornar uma doença. Pessoas ansiosas, irritadas e de temperamento explosivo muitas vezes usam a internet como válvula de escape para se manter longe das relações interpessoais, pois assim garantem o anonimato e afastam receios, insegurança e medo de não ser aceitas. O mundo virtual é um mundo protegido, mas que pode levar a sérios distúrbios emocionais.

5-Como lidar ou superar a Solidão ?

Aprender a gerir as mudanças de diferentes estilos de vida;

Consultas de psicoterapia, que são encaradas como sendo um método bem-sucedido de tratar a Solidão: compreender a causa da solidão e tratar pensamentos distorcidos associados a sentimentos e atitudes negativas causadoras deste estado;

A terapia de grupo é considerada por alguns especialistas como uma forma eficaz de tratamento de pessoas que identificam os mesmos sintomas e partilham os mesmos sentimentos. Acima de todos estes aspectos inerentes aos sintomas, causas e tratamento da solidão cabe a cada um de nós evitar e lutar contra este estado emocional que afeta e perturba uma grande parte da população.
Somos seres sociais, querendo ou não. Alguns mais, outros menos, mas, no final das contas, todos nós primamos por boas amizades, relacionamentos duradouros e vínculos familiares satisfatórios. Estar sozinho pode ser muito bom (e necessário) em alguns momentos, mas, na medida em que isto se torna uma condição crônica, é preciso estar atento para não cair nas armadilhas perigosas da solidão, que, além de incentivar nosso distanciamento com relação às pessoas ao nosso redor, também interfere negativamente  no modo como nos vemos e nossas próprias potencialidades.

6-Qual a maior complicação da pessoa com solidão?
A solidão é mais um fator de risco para o aparecimento de várias doenças. Ela é mais prejudicial à saúde do que a obesidade e o cigarro. A questão é que o bem-estar físico e o mental estão interligados. Se o indivíduo está triste, o seu organismo irá reagir de uma forma e isso implica na quantidade e no tipo de substâncias que serão liberadas. A solidão ajuda a degradar o corpo mais rapidamente e aumenta o risco de doenças cardiovasculares, pois o sentimento de viver só, deixa o indivíduo em estado de alerta contínuo, que tem que se defender sozinho sempre, o que aumenta a pressão sanguínea, e faz liberar no organismo altas concentrações de cortisol, hormônio ligado ao estresse.

 

1 Comentário

  1. Fabio Da Cunha Fontoura disse:

    Eu odeio certas pessoas, não consigo ficá junto delas

Deixe seu comentário: